Click for Lisbon, Portugal Forecast

sexta-feira, maio 20, 2005

Momentos, celebrações e partilhas

De repente, recordámo-nos de um episódio das últimas férias da Páscoa e apeteceu-nos falar sobre ele. A propósito de momentos simples, mas que se tornam importantes ao serem vividos e lembrados.
Estávamos de novo no Hotel Astória das Termas de Monfortinho. Tínhamos guardado durante algum tempo uma garrafa (das mais pequenas, daquelas que tão bem servem duas vontades) de Moet et Chandon. "Para beber num momento de celebração", disseramos.
O momento chegou naquela tarde, depois da piscina e antes do jantar. Tarde fantástica de início de primavera, em quarto com vista para o jardim e para as montanhas espanholas, lá ao longe.
Apeteceu-nos bebê-lo como aperitivo do jantar, que sabíamos iria ser bom, no Restaurante do Clube de Caça. Apeteceu-nos morangos para acompanhar, comme il faut.
Não havia, no entanto, morangos. Nem no hotel nem na mercearia lá ao pé. Então, comprámos maçãs!
E que bom que foi. Aquela preciosa garrafinha, mergulhada no frapé cedido pelo hotel, ficou gelada, o borbulhante líquido incluso também, e foi um deleite. Os pedacinhos de maçã acompanharam afinal na perfeição aquele champagne perfeito. E assim, brindámos à vida e a algumas pequenas/grandes conquistas que sentíamos ter alcançado nos últimos meses.
O nosso "apêndice" (melhor, a nossa "pequena apêndice") também participou no momento de prazer: o seu Compal de laranja serviu na perfeição para acompanhar a maçã e a ocasião!
É este texto a propósito de momentos, de celebrações, de partilhas. Principalmente, a propósito de cumplicidades e de encontros em torno das coisas boas da vida. Acreditamos que momentos como este, fazem parte da lista dos melhores legados que vamos oferecendo um ao outro. E das melhores "heranças" que podemos deixar à nossa filha!

3 Comments:

At sexta-feira, maio 20, 2005, Anonymous karlmarx said...

Carregadinha de ternura, Ludinais!
Coraçãozinho no peito, a bater, a bater,
E a vida a sair, a sair
pela pena
a contar, a contar
a graça do vento que te bafeja
cada dia.

Conta mais!

 
At sexta-feira, maio 20, 2005, Anonymous Antº Lascas said...

Gostei da sua história, simples mas ilustra bem que, se soubermos apreciar as coisas simples pelo seu real valor descobrimos uma agradável surpresa. Precisamente os tais bons MOMENTOS.
E isso talvez porque existe somente uma idade para sermos felizes, somente uma época na vida de que cada pessoa em que é possível sonhar, fazer planos e ter energia bastante para realizá-los a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.
Uma só idade para nos encantarmos com a vida, vivermos apaixonadamente e desfrutarmos tudo com toda a intensidade, sem medo nem culpa de sentir prazer...
É uma fase dourada em que podemos criar e recriar a vida à nossa própria imagem e semelhança, vestirmo-nos com todas as cores, experimentarmos todos os sabores e entregarmo-nos a todos os amores sem preconceito nem pudor...
É um tempo de entusiasmo e coragem em que todo o desafio é mais um convite à luta que enfrentamos com toda a disposição de tentar algo novo, de novo e de novo, e quantas vezes for preciso...
Essa idade tão fugaz na nossa vida, chama-se PRESENTE, e apenas tem a duração do momento que passa...

 
At segunda-feira, maio 23, 2005, Anonymous Anónimo said...

O meu aniversário tá quase aí e este ano não me tem apetecido muito pensar nisso... a magia das velas acesas no bolo já lá vai... mas vocês inspiraram-me a comemorar com Moet Chandon e morangos!! Então... se me oferecerem flores... e se passar uma avioneta a dizer "Amo-te" então é que vai ser um Momento!
A.

 

Enviar um comentário

<< Home