Click for Lisbon, Portugal Forecast

quinta-feira, setembro 01, 2005

Há um dia ...


Alentejo Posted by Picasa


"Há um dia em que tudo muda sobre o mundo porque percebemos num olhar desconhecido, num gesto diferente, de que agora temos na vida a nossa primeira melhor amiga. Aprendemos uma noção insuspeitada de prazer e de conforto, esperamo-las de manhã, deitamo-nos juntas, abrimos-lhes as casas e os corações, sentamo-nos nas camas em camisa de noite a fumar cigarros clandestinos quando a normalidade dorme e a falar de como é que se dão beijos, de vergonhas e de medos, de humilhações profundas e dramas ingentes.
Escrevemos cartas durante as férias, inventamos códigos, depois descobrimos a punhalada da traição e a fantasia da revolta, já não és a minha melhor amiga, não, agora sou a melhor amiga da outra".
//in "Ponto Pé de Flor", Clara Pinto Correia, Pub. Dom Quixote, Lisboa, 1990.
(Oferecido pelo meu amor, o outro "gastr'eateiro",... em Lagos a 26/12/90)
De vez em quando tenho um dia em que, quase sem querer, vou à estante buscar o "Ponto Pé de Flor" para ler este pedacinho. Hoje apeteceu-me de novo fazê-lo.
Não é que hoje esteja particularmente desiludida com alguém. Apenas confirmei que as pequenas "traições" começam a fazer parte das nossas vidas desde cedo! Terá mesmo que ser desta forma?!?
Pessoalmente, acredito muito na verdade, na partilha e na entrega...ainda! Gostaria que fosse sempre assim na minha vida. E na vida dos meus amigos, mas principalmente na vida das minhas amigas! Parece que as senhoras têm mais dificuldades neste domínio. Hoje ouvi - uma mulher inteligente - dizer que as mulheres têm mais de quarenta tipos de hormonas diferentes. Os homens parece que só têm dois! Será esta diferença tão determinante, que se faça notar também a propósito de sentirmos nós de forma mais intensa "a punhalada da traição", qualquer que ela seja?
Este texto é principalmente para a minha amiga que esta tarde queria ter ido...:-)) beber um chá comigo. E que lamentou ter-se hoje desiludido muito com certa pessoa...
"Armou-se no nosso barco um grande naufrágio mas depois acordámos juntas agarradas à mesma bóia". Esta imagem ilustra bem as vicissitudes pelas quais passamos mas também a importância da amizade. Contrária à traição e à desilusão.
Se calhar, é preciso haver dias em que, por via do desilusão, percebemos quem são os nossos verdadeiros amigos!
... "Apeteceu-me" escrever isto. E o gastr'eat' tem tudo a ver com "apetites", ainda que distintos.

5 Comments:

At sexta-feira, setembro 02, 2005, Anonymous karlmarx said...

Ai a parte feminina de Ludinais com o coração à flor da pele...!

 
At sexta-feira, setembro 02, 2005, Blogger Ludinais said...

Desculpem a todos aqueles que tinham feito comentários neste post mas, por razões técnicas (ou por azelhice nossa), ao colocar-mos este bela fotografia, os comentários desapareceram. As nossas sinceras desculpas.

 
At sexta-feira, setembro 02, 2005, Blogger Lumife said...

Também me calhou ir no naufrágio...

Mesmo agarrado à bóia.

A amizade, em meu entender, tudo supera. Cabeça ao alto que amanhã é outro dia.

Bom fim de semana

 
At sexta-feira, setembro 02, 2005, Blogger Ludinais said...

Karlmarx,

Já sabes como é este coração...malandro!

Lumife,

Obrigada por ter voltado a este barco algo periclitante. Haverá sempre mais bóias para amigos, e este naufrágio não foi dos mais devastadores, felizmente!

Muito bom fim de semana também para si!

 
At segunda-feira, setembro 05, 2005, Anonymous Anónimo said...

Estão desculpados mas apetece-me deixar o ar da minha graça... É assim, "quando temos um desgosto, um dia dura tanto como três outonos"! Mas com amigas como tu os outonos trnsformam-se em Primaveras coloridas e alegres!


É mesmo lumife! São os amigos que dão razão à vida e cor à alma!

 

Enviar um comentário

<< Home